NOME NOME NOME NOME NOME

13/08/2019

CRIANÇA MORTA POR ASFIXIA NO RN PODE TER SOFRIDO ABUSO SEXUAL



Thyago Batista, responsável pela investigação sobre a morte de Danielle Avelino, disse que o depoimento de mãe e padrasto foram essenciais para requerer a prisão dos dois
Frieza. Foi assim que o delegado Thyago Batista, da Delegacia de Santa Cruz resumiu o depoimento do casal responsável pela pequena Danielle Avelino, de 6 anos, morta por asfixia na sexta-feira (9).
As investigações apontaram para um rumo após interrogatório com a mãe Alcilene Santos Avelino, 35 anos, e o padrasto da menina, Paulino Lopes da Silva, 34. Para a polícia, a criança foi assassinada por um dos dois ou pelos dois.
Segundo declaração de óbito do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep-RN), a menina foi espancada e a morte foi causada por asfixia mecânica, ou seja, as vias respiratórias foram tapadas com as mãos ou um travesseiro, por exemplo.
Nenhum dos dois investigados conseguiu dar detalhes concretos sobre a autoria direta do crime. “A princípio, a gente já sabe que por omissão eles já cometeram um crime, porque estavam os dois em casa, a filha estava dormindo em casa e ela apareceu morta em casa. Logo, toda responsabilidade é deles”, afirma Thyago Batista, que está a frente do caso.
O agente que conduz as investigações detalha ainda o comportamento do casal em relação ao caso. “Parecia que nada tinha acontecido. O padrasto disse que estava no celular e ao saber que a menina estava possivelmente sem vida, ele não fez caso e voltou ao celular”, completa Thyago Batista.
A polícia solicitou um exame de conjunção carnal para detectar se Danielle também sofreu violência sexual. Tanto a mãe quando o padrasto estão presos na Delegacia de Santa Cruz.
Danielle morreu em hospital com sinais de violência
Danielle Avelino de Oliveira tinha 6 anos. Foto: Redes Sociais/Reprodução
Criança morreu na cidade de Jaçanã, região Agreste do Rio Grande do Norte, na noite de sexta-feira (9). Danielle Avelino de Oliveira tinha marcas de agressões no pescoço e nas pernas quando foi socorrida. A PM foi acionada após os profissionais da unidade hospitalar detectarem hematomas e marcas de espancamento pelo corpo da vítima.
A menina foi morta por asfixia mecânica e a constatação foi apresentada em declaração de óbito concluída na manhã de sábado (10) no Itep em Natal.

OP9

comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Cadê o pai dessa criança, pra procurar o cachorro desse padastro e fazer justiça com as próprias mãos

    ResponderExcluir
  2. Essa cachorra nem o nome de Mãe pode carregar

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus do céu, polícias matem esses vermes...

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.