NOME NOME NOME NOME NOME

25/01/2020

PESSOAS ESTÃO MORRENDO EM MOSSORÓ POR FALTA DE TRANSFERÊNCIA PARA O TARCÍSIO MAIA



A barreira no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) para impedir a entrada de pacientes encaminhados pelas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) de Mossoró, é muito mais grave do que a denúncia feita pelo cidadão identificado com o nome de “Gutemberg Medeiros”, que viu morrer o pai e o avô porque eles não foram transferidos a tempo para a unidade de urgência/emergência. Gutemberg narrou o seu sofrimento nas suas redes sociais. Disse que perdeu o pai e o avô no espaço de 16 dias, nas mesmas circunstâncias. Os dois ficaram aguardando horas e horas na UPA, mas acabaram morrendo porque a transferência não foi autorizada pelo Hospital Tarcísio Maia. A sua revolta em forma de desabafo está circulando nas redes sociais: “O Governo do Estado, secretário de Saúde e a direção do Hospital Tarcísio Maia têm as mãos sujas de morte.” A coluna, edição de ontem, repercutiu a grave denúncia e, de imediato, recebeu novas denúncias e informações que são ainda mais graves. Uma delas afirma que o número de mortes nas UPAs, principalmente de pessoas idosas, aumentou assustadoramente desde a decisão da direção do Tarcísio Maia de dificultar o recebimento de pacientes que são encaminhados pelas Unidades de Pronto-Atendimento. Um episódio, inclusive, chamou a atenção porque deixou um médico lotado na UPA do Belo Horizonte bastante indignado. O referido profissional se revoltou quando um médico do Tarcísio Maia mandou de volta para a UPA um paciente que estava com fratura exposta. Por telefone, o médico indignado determinou que o hospital recebesse o paciente, que precisava de atendimento urgente, sob pena de levar o caso para a polícia e pedir a prisão dos profissionais envolvidos. Um médico que fez contato com a coluna (nome preservado) afirmou que cerca de 20 pessoas morreram nas UPAs de Mossoró nos últimos meses, porque não foram transferidas para o Tarcísio Maia ou porque não tinham as condições financeiras para pagar hospital privado. Esse mesmo médico conta que pacientes estão ficando internados nas UPAs por vários dias, e isso não pode porque essa é atribuição de unidades de urgência, que devem dispor de leitos hospitalares. A razão de a direção do Tarcísio Maia dificultar a transferência de pacientes das UPAs, é uma forma de inibir o acúmulo de pacientes em macas nos corredores do hospital e, de certa forma, dizer à população que o HRTM está sendo bem administrado. Só que a estratégia é absurda porque o cidadão simples está pagando com a própria vida. É revoltante. É inadmissível. O Ministério Público Estadual (MPRN) tem a obrigação de se sentir provocado e abrir linha de investigação. Não cabe, nesse momento, esperar que as autoridades da saúde se sentem para discutir se transfere ou não pacientes. Existe denúncia, concreta, como a feita por Gutemberg Medeiros, que o pai e o avô morreram porque não foram transferidos para receber o atendimento necessário. Morreram à míngua, depois de horas e mais horas de espera. Alô, MP! A direção do Hospital Regional Tarcísio Maia diz que as denúncias são inverídicas.
Cesar Santos/Defato

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Isso é inadimocivel.dia 16 de outubro meu esposo caiu de moto e ele tem o femur quebrado e agente ficou com medo dele ter quebrado a perna de novo.fui pra o tarcisio maia com ele e me mandaram ir com ele pra Upa sem la bater raio x.eu fui pra Upa e cheguei la o médico fez a tranferencia so q o tarcisio maia tem q atender uma ligação pra confirmar se vai ou nao receber o paciente.o medico e assistente social cansaram de ligar e eles nao atenderam.mas mesmo assim fui pra o tarcisio maia de novo.cheguei la nao queriam atender ele.menino eu botei um boneco foi grande la.no isntante atenderam ele.povo irresponsavel

    ResponderExcluir
  2. Muito triste ler uma notícia dessa.... um hospital deve ajudar a salvar vidas e não o contrário....governadora queremos uma posição. ...

    ResponderExcluir
  3. Está com um mês que perdi minha cunhada morreu na upa pq chegou lá no Tarcísio maia e não receberam ela lá isso é um absurdo com o ser humano.uma mulher nova 37ano morreu a milha .

    ResponderExcluir
  4. O que isso ministério público ? Isso existe em Mossoró faz anos que vejo uma ação se quer do ministério público que aja em favor do cidadão eu vi uma jovem promotora que em sua época tentou lutar contra o cartel dos combustíveis e na época ela até lutou mas logo foi transferida somos abandonados por os promotores que deveriam lutar pra que o serviço público e outros serviços levassem a sério a população o cidadão de bem que trabalhar pra manter os altos salários deles, não veremos nada ser feito com relação a isso pois afinal a governadora não tá preocupada com a população e sim com sua quadrilha chamada pt que só acumula isso mesmo mal tratos em cima do cidadão mas eleições estão vindo não vou dizer que tá na porque já passou da hora de vc cidadão aprender a voltar e tirar do poder essa cambada de parasitas do poder vamos renovar levar a sério só da 4 amos se não prestou colocamos outros acorda meu povo.

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

 
Se inscreva no canal TV Passando na Hora no Youtube.
Inscreva-se