NOME NOME NOME NOME NOME

01/03/2019

JUSTIÇA MANDA SOLTAR JOVEM QUE JOGOU RECÉM NASCIDA PELA JANELA DE PRÉDIO EM MOSSORÓ



A Justiça do Estado do Rio Grande do Norte acaba de determinar que a jovem Emilly Karolini, de 22 anos, seja posta em liberdade para responder pelo crime de homicídio e/ou infanticídio.
Emilly Karolini teve o filho prematuro (cerca de 31 semanas no dia 17 do mês) dentro do banheiro de casa, no Planalto 13 de Maio, e depois o jogou pela janela, matando-o com o impacto com o solo.(RELEMBRE)
O delegado Evandro dos Santos, que estava de plantão, apurou o caso e autuou Emilly Karolini por homicídio. Ela morava no mesmo apartamento  com os pais, que também foram interrogados.
A auto de prisão em flagrante foi enviado à justiça, para homologação ou não. Terminou sendo homologado e o caso passou tramitar no Poder Judiciário e também na Polícia Civil. Os policias querem saber se mais alguém participou do crime.
O advogado Otoniel Maia, solicitou ao Poder Judiciário, em caráter de urgência, exames médicos especializados em Emilly Karolini, para provar que e a reação ao parto, matando a criança era em função da depressão pós parto.
Os exames foram concluídos e entregues a Justiça nesta quinta-feira, 28 de fevereiro. de 2019. Diante da urgência do caso, no mesmo dia chegou ao promotor de Justiça Ítalo Moreira Martins para parecer.
O promotor confirmou o fato. 
Disse que recebeu o pedido de parecer e, anexo, haviam dois laudos, atestando a depressão pós parto de Emilly Karolini. Diante de tais fatos técnicos, opinou pela imediata liberdade da jovem.
"Em ambos laudos concluíram não apenas que ela tinha problemas psiquiátricos como também que sua ação foi potencializado pelo estado puerperal,  que é um estado que tira a plena capacidade da gestante logo depois do parto", explica Italo Moreira.
O advogado Otoniel Maia Junior confirmou que realmente a jovem havia ganho liberdade para responder pelo crime. No entendimento dele, nestes casos, não deveria ter ocorrido a prisão.
O posicionamento do advogado  parece com o que pensa o promotor Italo Moreira, baseado no que é dito pela Legislação Penal Brasileira. "Art. 123 - Matar, sob a influência do estado puerperal, o próprio filho, durante o parto ou logo após:  Pena - detenção, de dois a seis anos", diz.
Os familiares de Emilly Karolini não gravaram entrevista. 

Mossoró Hoje

comentário(s) pelo facebook:

25 comentários:

  1. Amanhã mesmo ela vai pular o carnaval

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E talvez vá fazer outro pra jogar dinovo, tem justiça não no Brasil o que vale é dinheiro

      Excluir
  2. O justiça injusta viu. Mais a justiça de Deus e justa.

    ResponderExcluir
  3. Podia tomar era vergonha essa justiça,daqui uns dias ela tá abrindo as pernas de novo e matando outro inocente...

    ResponderExcluir
  4. Agora é só dar o xibiu de novo e engravidar de novo, e matar de novo

    ResponderExcluir
  5. Tantas querendo ter e outras jogando fora.porq não deu pra alguen criar bem longe de vc...

    ResponderExcluir
  6. Isso que ela cometeu foi homicídio doloso, ou seja ela teve a intenção de matar, somente aqui no Brasil uma pessoa mata outra intencionalmente depois a justiça a coloca em liberdade, E agora eu pergunto pra esse advogado se a mulher dele matasse um filho dele ele ia advogar em favor da esposa

    ResponderExcluir
  7. Vagabunda maldita filha do capeta, se fosse filho meu vc ia amanhecer com a cara cheia de chumbo sua desgraçada.

    ResponderExcluir
  8. Mas tem advogado aqui viu kkkkk aqui é melhor doque um escritório de advocacia,essa menina está acobertada pela lei , é fato isso !

    ResponderExcluir
  9. A polícia pode investigar por câmeras e horas de consultas, pra saber que os laudos são falsos.

    ResponderExcluir
  10. O problema....e que no Brasil ...tudo acaba...em pizza...samba.. injustiças acontecem...os que são responsáveis pra combater as injustiças...se omitem com irresponsabilidades...o nosso país cada vez mais pobre.... principalmente na moral... ética...e valor humano...ate quando vamos conviver com essa pouca vergonha no Brasil.... diariamente. Violação de leis...q qu so existe no papel mas na prática ..o que agente vê todos os dias.. é crimes... inafiançáveis..ficando em pune...sai governo e entra governo ... continua a mesma coisa...essa pouca vergonha...enq enquanto isso a violência reina...e fica tudo por isso mesmo...um mar de lama.. precisamos mais de respeito.

    ResponderExcluir
  11. Um absurdo....nosso país mais pobre e injustiças acontecem...e fica por mesmo...falta de respeito com ser humano....um país sem moral...e injusto...tudo termina em pizza.. um mar de lama...pouca vergonha.

    ResponderExcluir
  12. todas elas que mata os filha a depois do parto foi depressaó pois parto ainda não vi uma ser condenada por isso.porque elas se matam a depressão e só pra matar os filho

    ResponderExcluir
  13. todas elas que mata os filho a depois do parto foi depressaó pois parto ainda não vi uma ser condenada por isso.porque que elas não se matam a depressão e só pra matar os filho

    ResponderExcluir
  14. Essa praga quando foi pra dá o priquito não teve depressão né ? Aí quando é pra matar um inocente tem problema mentais ? Me poupe véi , essa desgraçada tinha era que ser jogada da janela também . Mais seu castigo logo logo vem sua nojenta , Deus tarda mais não falha

    ResponderExcluir
  15. Gente vamos deixa Deus condena.

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pra noasn justiça injusta

    ResponderExcluir
  17. Danilo vc esta certo ela tirou uma vida merece tá presa.essa pergunta que vc fez a esse advogado eu faria do mesmo jeito

    ResponderExcluir
  18. Ela e prá a populacao pegar ela fAzer do mesmo jeito essa maldita jogar de cimá do apartamentos

    ResponderExcluir
  19. Em felizmente a justiça do nosso brasileiro assim vc mata vai preço e a justiça solta... Meus Deus que mundo e esse que estamos vivendo

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.