NOME NOME NOME NOME NOME NOME

10/11/2020

ITEP COMEÇA COLETA DE IMPRESSÕES DIGITAIS DE 8 MIL PRESOS NO RN



Ação vai alimentar base de dados que poderá ser usado para resolução de crimes. Trabalho começou nesta segunda-feira (9) no presídio de Ceará-Mirim, na Grande Natal.
Coleta de impressões digitais de presos do RN começou nesta segunda-feira (9) em Ceará-Mirim, na Grande Natal — Foto: Divulgação
Uma ação iniciada nesta segunda-feira (9) deverá coletar as impressões digitais de cerca de 8 mil homens e mulheres presos no sistema penitenciário do Rio Grande do Norte. O trabalho é desenvolvido por meio de uma parceria do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), com a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado. O cadastramento teve início no presídio de Ceará-Mirim, na região metropolitana de Natal.
O projeto deverá alimentar a base de dados de impressões digitais, o que poderá facilitar a resolução de crimes a partir do confronto papiloscópico. As digitais cadastradas poderão ser comparadas com as encontrados em cenas de crimes, por exemplo. De acordo com o Itep, a ação é inédita no Brasil e tem o objetivo de evitar casos de falsidade ideológica e impedir que pessoas inocentes paguem por crimes no lugar dos verdadeiros culpados.
No planejamento do governo, as coletas irão acontecer em todos os presídios do Rio Grande do Norte. Segundo o diretor do Itep, Marcos Brandão, o trabalho deverá durar pelo menos seis meses, visto que o próprio sistema penitenciário possui restrições. Em Ceará-Mirim, as coletas só serão feitas nos dias de segunda e sexta-feira.
“O trabalho de fato é inédito e muito importante, pois com essa coleta iremos aliar a impressão digital ao DNA, o que irá favorecer muito as ações integradas entre os órgãos que fazem parte do sistema estadual de segurança”, comentou Marcos Brandão
“Posso resumir este trabalho com uma palavra: confiabilidade. Todos os sistemas de identificação têm que ser confiáveis, e é isto que estamos querendo aqui no Estado”, ponderou o juiz Henrique Baltazar dos Santos, titular da Vara de Execuções Penais de Natal e coordenador criminal do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Prisional do Rio Grande do Norte.
Para o secretário de Administração Penitenciária, Pedro Florêncio Filho a coleta de dados biométricos "vai trazer efetivamente mais segurança, controle e transparência ao sistema prisional”.

G1-RN

comentário(s) pelo facebook:

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

 
Se inscreva no canal TV Passando na Hora no Youtube.
Inscreva-se