NOME NOME NOME NOME NOME NOME

28/04/2020

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA SESAP REVELA AUMENTO NAS SUSPEITAS DE CORONAVÍRUS NO RN




Dados do novo boletim epidemiológico divulgado hoje, 28, pela Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Norte (SESAP RN) mostram que o Estado tem 857 casos confirmados para Covid-19 e 48 óbitos ocorridos em 21 municípios. Oito óbitos permanecem em investigação. São 4.626 casos suspeitos, 504 a mais notificações do que o informado no boletim de ontem, quando havia 4.122 casos suspeitos. 3.002 casos foram descartados. Os números foram apresentados em mais uma entrevista coletiva realizada em Natal, com o secretário de Saúde, Cipriano Maia.
Segundo ele, o número de notificações mostra um crescimento na procura pelos serviços de Saúde, devido as síndromes gripais, que têm sido notificados com casos suspeitos. “Destacamos ainda que desses suspeitos todos já temos em 157 municípios, o que mostra uma presença em, praticamente, todo o Estado”, disse o secretário.
Cipriano também mencionou a incidência elevada registrada em cidades pequenas, quando se considera o registro de casos por grupo de habitantes. “Nós temos municípios de pequeno porte onde a incidência proporcional à população é das mais altas. Municípios de pequeno porte na região do Oeste e a região do entorno de Pau dos Ferros, do entorno de Mossoró, coincidências bastante significativas, assim como na região metropolitana de Natal”, informou o secretário.
147 pessoas estão internadas no Estado, sendo 75 com suspeita de Covid e 72 com confirmação. Do total de casos de internamentos, 56 são em UTIs e 32 em leitos de Cuidados Semi Intensivos, o que reforça o alerta para a importância do isolamento social.
Cipriano Maia também voltou a pedir o uso de máscaras e o distanciamento adequado às pessoas que estão indo às agências bancárias. Ele lembrou que sem isolamento não será possível abreviar o retorno às atividades.
“Sem esta cooperação da população, sem o uso efetivo de máscaras, o distanciamento sendo mantido, a gente não vai abreviar essa retomada à normalidade”, afirmou, pedindo ainda medidas de proteção aos idosos e às pessoas que têm comorbidades.
O secretário também pediu cuidado por parte das pessoas que saem de casa para que, ao retornarem, adotem os cuidados necessários para minimizar os riscos aos demais. “Por isso a gente apela para que todos tenhamos, mais do que solidariedade, compaixão com aqueles mais vulneráveis”, pediu o secretário.
Recuperados
Por outro lado, o boletim epidemiológico da Sesap também traz atualização o número de pessoas recuperadas no Estado, com a inclusão dos dados de Mossoró. O RN tem 352 pessoas recuperadas, conforme informações remetidas por 15 municípios.
Ocupação e abertura de leitos
Durante a coletiva, Cipriano Maia informou que o Estado não conseguiu abrir, na velocidade que gostaria, todos os leitos previstos no Plano de Contingência por falta de condições.
“O Ministério não tem conseguido chegar com os respiradores que estavam prometidos e previstos, com os demais equipamentos de UTI, com o número de testes suficientes, tem havido um fornecimento, mas em um número ilimitado que inviabiliza que se possa fazer uma testagem em massa e também dos equipamentos de proteção individual para os profissionais. Isso traz restrição para uma expansão mais acelerada dos leitos, tanto no setor público quanto no filantrópico que o Estado está contratando para expandir leitos. Os municípios também enfrentam essa mesma dificuldade e, ao não recebermos esse apoio decisivo do Ministério nós ficamos também limitados para ajudar os municípios”, afirmou Cipriano, reforçando a cobrança de apoio ao Ministério.
A taxa de ocupação dos leitos hospitalares como já vem sendo discutido, é mais crítica em Mossoró e na região metropolitana de Natal. “Dada essa dificuldade de expansão acelerada dos leitos, nós temos uma situação de ocupação já bastante crítica. Em alguns dias, praticamente, todos os leitos disponíveis ocupados, principalmente os leitos críticos de UTI ou de assistência ventilatória. Na região de Mossoró da mesma forma. Nós estamos na expectativa de que nos próximos dias nós consigamos ampliar esses leitos, tanto aqui como em Mossoró, até porque as ações que vínhamos trabalhando tem se acelerado e com isso a gente, digamos assim, diminua essa pressão. Mas se tem um crescimento como vem se apresentando, dificilmente, nós vamos ter essa situação de folga que vínhamos tendo até então”, afirmou Cipriano.
Ainda com relação a Mossoró, cidade com maior número de óbitos no Estado, o secretário mencionou que praticamente todos os leitos estão ocupados, inclusive no setor privado.
Ele também lembrou que a primeira morte ocorrida no Estado aconteceu a um mês, na região Oeste. “Aproveitamos inclusive para reverenciar todos os mortos e que a sua memória seja lembrada e motive aqueles todos que sentiram essa morte para fortalecer a solidariedade e as ações de proteção das pessoas vulneráveis e de reforço das ações de controle da pandemia”.
Todos pela Saúde
Na coletiva de imprensa desta terça-feira, o secretário de Saúde Cipriano Maia falou sobre a possibilidade de apoio, através do projeto Todos pela Saúde, que conta com a participação de unidades como o Hospital Sírio Libanês e o Albert Eistein.
“Temos um projeto Todos pela Saúde, que é um projeto com apoio de um grande banco, que alocou recursos para isso, constituiu um conjunto especialistas do Sírio Libanês, do Albert Einstein e outros nomes de referência da Saúde Pública Nacional como Eugênio Vilaça Mendes, Dr. Drauzio Varela, que constituem o Comitê de Gestão desse projeto”, informou Cipriano.
Segundo ele, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) realizou uma reunião virtual com os representantes desse comitê e os estados aderiram a esse apoio, o Rio Grande do Norte foi um deles.
“Ontem nós recebemos dois consultores do projeto que vieram aqui reconhecer a realidade e estudar essas possibilidades de apoio, tanto no gerenciamento dos cuidados dos hospitais, como no gerenciamento da própria situação da crise do Estado e avaliar as possibilidades de apoio em termos de insumos de equipamentos que o Estado necessita hoje”, contou.
“Então, é mais uma frente que temos aberto de buscar apoio para enfrentar as dificuldades da pandemia, principalmente na ausência de um apoio mais efetivo e mais decisivo do Ministério para estar nos dando esse apoio no cotidiano do enfrentamento da crise”, reforçou o secretário.


comentário(s) pelo facebook:

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.

 
Se inscreva no canal TV Passando na Hora no Youtube.
Inscreva-se