NOME NOME NOME NOME NOME

20/11/2018

[VÍDEO] DELEGACIA DE HOMICÍDIO ESCLARECE CRIME CONTRA PAULINHA NO ALTO DO XEREM EM MOSSORÓ. FREDSON ESTÁ PRESO.



No final da matéria vídeo onde o Dr. Rafael Arraes fala sobre o caso.
"Depoimento cheio de riquezas de detalhes. Que cara frio". Disse o Dr. Rafael Arraes, sobre a prisão e depoimento de Fredson Dazio de Freitas Silva, 25 anos acusado de matar e alterar cena de crime para simular suicídio. Delegado Rafael Arraes recebeu informações do CIOSP na manhã de terça feira 13 novembro 2018, informando que uma mulher identificada como Paula Dantas, "Paulinha" como era mais conhecida, teria cometido suicídio usando uma arma branca (faca). Suspeitando do caso foi ao local e ao ver ferimentos provocado não condizia como de uma pessoa querendo se matar. Daí o principal suspeito passou a ser seu ex companheiro Fredson. A princípio ele foi intimado e disse que ela já queria se matar a tempos. Porém câmeras de segurança na região flagraram Fredson saindo de madrugada sozinho da casa da vítima. Após receber o laudo do ITEP afirmando que Paulinha não teria cometido suicídio nós tratamos de pedir a prisão preventiva e o mesmo foi preso na casa de familiares. Segundo o delegado ele relatou em seu depoimento que Paulinha não aceitava a relação dele com outra pessoa e no dia do crime ela estava em casa, ele foi até lá, junto com eles uma das filhas dormia na cama ao lado de onde sua mãe tava sendo morta. "Quando a menina dormiu começamos à brigar mais uma vez. Ela pegou uma faca, eu tomei e pra me defender desferi diversos golpes nela. Na região do peito, nádegas. Depois coloquei a faca na mão dela para simular o suicídio". De acordo  com Dr. Rafael Arraes após o crime, ele foi no velório, cumprimentou familiares, pegou a menina levou pra casa dele tudo isso pra enganar ou tentar enganar a todos com a história do suicídio. Veja na íntegra a entrevista do Dr. Rafael Arraes dando detalhes da prisão.  Ele está preso à disposição da justiça na Cadeia Pública de Mossoró, onde responderá por homicídio qualificado, por ter alterado local do crime simulando tentando enganar o judiciário assim como crime de aborto já que ele sabia que ela estava grávida de quatro meses, do seu terceiro filho com ela.

Local do crime


<

comentário(s) pelo facebook:

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.