NOME NOME NOME NOME NOME NOME

03/03/2018

MÉDICO POTIGUAR É PRESO SUSPEITO DE ESTUPRAR PACIENTES EM UPA NO RECIFE



O médico suspeito de estuprar pacientes em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Recife, foi preso pela Polícia Civil nesta sexta-feira (2). Segundo os investigadores, foram registradas mais de sete denúncias contra ele nos últimos dias. Uma jovem de 18 anos foi a primeira vítima a procurar a polícia, no dia 21 de fevereiro.
O suspeito foi identificado como Kid Nelio Souza de Melo, de 35 anos. Ele prestou depoimento na sede do Departamento de Polícia da Mulher (DPMul), no Bairro do Recife, na região central da capital, onde detalhou como os crimes eram cometidos durante o depoimento às delegadas. Com um mandado de prisão, o médico saiu do local por volta das 16h50 para o Centro de Observação e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima.
Na consulta ao site do Conselho Regional de Medicina em Pernambuco (Cremepe), é possível ver que o médico transferiu o registro profissional do Rio Grande do Norte para Pernambuco e tem como especialidades traumatologia e ortopedia.
Chefe da Polícia Civil, Joselito do Amaral já havia dito, em entrevista nesta semana, que eram "grandes as possibilidades" de o médico ser considerado um criminoso em série, dado o número de denúncias que estavam chegando às autoridades.
Médico prestou depoimento na sede do Departamento de Polícia da Mulher, no Bairro do Recife (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

Entenda o caso
A primeira vítima declarou, em depoimento, ter sido molestada pelo médico no dia 21 de fevereiro. A direção da UPA afastou o suspeito das atividades na unidade e afirmou que iria "tomar todas as medidas cabíveis".
A jovem havia mencionado que foi atendida por um médico traumatologista e que o crime ocorreu quando ela voltou ao consultório em que foi atendida para mostrar um exame de raio-X. Segundo a delegada da Mulher, Gleide Ângelo, a vítima estava muito nervosa quando chegou à delegacia e não conseguia falar com detalhes o que aconteceu. Assim que ela relatou o estupro, foi direcionada aos exames.
Na quinta-feira (22), a polícia divulgou que estava investigando a existência de uma possível segunda vítima. As investigações sobre o caso correm sob sigilo, com a chefia da delegada Ana Elisa Sobreira, que afirmou ter feito as ouvidas das vítimas. Dias depois, o chefe da Polícia Civil informou que chegavam a cinco as denúncias.
O Conselho Regional de Medicina em Pernambuco (Cremepe) abriu sindicância para apurar a conduta do profissional.

Texto/G1

comentário(s) pelo facebook:

Um comentário:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.