Clicky

NOME NOME NOME NOME NOME NOME

29/09/2017

JUIZ DECIDE QUE O MILICIANO BATMAN DEVE CONTINUAR EM PRESÍDIO DE MOSSORÓ-RN



Prisão de Ricardo Teixeira Cruz, o Batman, em 2009 Foto: Gustavo Azeredo
O juiz da Vara de Execuções Penais (VEP) do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Rafael Estrela, aceitou pedido feito pelo secretário de Segurança do estado, Roberto Sá, e decidiu pela renovação da permanência do miliciano Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, no presídio federal de Mossoró (RN), onde o criminoso está desde 2009.
Nesta quinta-feira, juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Rafael Estrela, recorreu à presidência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) a fim de que o traficante de drogas Marco Antônio Pereira Firmino da Silva, o My Thor, permaneça no presídio federal de Catanduvas (PR), onde o criminoso está desde 2007.
Batman e My Thor estão entre os 55 chefes do crime organizado que podem voltar para o Rio. A Defensoria Pública da União (DPU) apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de habeas corpus em que propõe o retorno de todos os detentos que estão há dois anos ou mais no sistema penitenciário federal aos seus estados de origem.
Caso a solicitação, seja aceita, poderão voltar para presídios do Rio de Janeiro traficantes como Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar; Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP; e Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, suspeito de ter dado ordem para uma quadrilha invadir a Rocinha, no último dia 17.
De acordo com as informações prestadas pela Secretaria de Segurança ao magistrado, “Batman é ex-PM e estaria envolvido com a milícia conhecida como Liga da Justiça, bem como com crimes praticados por esse grupo criminoso, sendo um dos líderes influentes nas regiões de atuação dessa milícia” em diversos bairros da Zona Oeste do Rio.
Na decisão, juiz da VEP destaca a importância de o preso ser mantido distante de sua área de atuação:
“A permanência do apenado fora dos limites do Estado do Rio de Janeiro é um importante obstáculo ao fluxo de comunicações entre tais líderes e seus comandados, no que tange à transmissão de ordens ilícitas, o que viabiliza a continuidade da austera política de segurança pública implementada pelas autoridades fluminenses”, destaca o magistrado.
Na terça-feira, o juiz Rafael Estrela recorreu à Presidência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para manter em Mossoró outro miliciano, Toni Angelo Souza Aguiar, que era considerado braço-direito de Ricardo Cruz.

Extra

comentário(s) pelo facebook:

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.