Google Analytics Alternative
NOME NOME NOME NOME NOME

06/03/2017

AGENTES PENITENCIÁRIOS DO RN PROCESSAM FABRICANTE DE ARMAS



Segundo autores da ação, arma da empresa Taurus não dispara.Fabricante é a maior do Brasil e acumula reclamações em outros estados.
Segundo advogado responsável pela ação, a bala fica travada e a arma não dispara (Foto: G1/RN)
Um grupo de agentes penitenciários de Apodi, cidade do Oeste do Rio Grande do Norte, está processando a maior fabricante de armas do Brasil – a Taurus. Segundo um agente que não quis ser identificado, as pistolas não disparam. "Precisei fazer uma intervenção e a arma não disparou. Minha vida está em risco", relatou.
A Taurus afirmou ter conhecimento de algumas ações judiciais nas quais são alegados problemas com armamentos Taurus no Brasil, mas nega a existência de falhas ou defeitos nos mecanismos de funcionamento e segurança das armas. "Ressaltamos que não foi encontrado qualquer defeito específico em nenhum modelo de armas produzidas pela Taurus, segundo perícias realizadas até o momento dentro das normas técnicas aplicáveis", afirmou a fabricante.
Segundo o advogado Jorge Ricard Jales Gomes, responsável pela ação, o processo foi protocolado na Comarca de Apodi na última quinta-feira (2). “Estamos esperando o primeiro despacho do juiz, que é a marcação da audiência para que a Taurus de manifeste”, explicou. “Temos perícia e testemunhas que provam o problema que estamos relatando. A bala fica travada na arma e não atira", afirmou.
'Vítimas da Taurus'
A quantidade de acidentes e incidentes, alguns bem mais graves que o relatado no RN, motivou a criação da página 'Vítimas da Taurus'. Fica no Facebook, onde as situações são expostas para pressionar a fabricante. Os policiais cobram providências em nível nacional.
O Fantástico exibiu resultados de um teste realizado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, em 2016, para avaliar a eficiência das armas da Taurus em um lote adquirido em 2013. Das 55 pistolas examinadas, 36 tiveram problemas, sendo 20 da PT 940, que apresentaram pelo menos uma falha, e outras 16 da PT 840, que teve 16 reprovadas.
Segundo o agente penitenciário do RN que não quis ser identificado, o trabalho já é arriscado e fica ainda mais difícil com a falha do armamento. "Põe em risco a minha vida. Ela tem um defeito que trava e impede a minha ação, mas também pode disparar a qualquer momento. É uma bomba relógio", lamenta.
As armas dos sete agentes que entraram com a ação foram compradas para uso pessoal, mas a empresa detém, pela lei nº 12.598/2012, o direito, quase que exclusivo, de fomentar o mercado de armas das polícias brasileiras. "Vamos acionar também o Ministério Público para essa questão", destacou o advogado Jorge Ricard.
Na ação, os agentes pedem o ressarcimento sobre o valor atualizado das pistolas, do modelo PT638, que podem custar até R$ 4,5 mil. "A indenização pode chegar a R$ 6 mil, pois tem também o risco de vida que esses homens correm", explicou Ricard.

Andréa Tavares 
Do G1 RN

comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. A vida de agente de segurança só RS$ 6.000,00 ?isso é vergonhoso ..sem mas comentários .

    ResponderExcluir
  2. Cader o direito de emprestimo consignado que Robson Faria tirou dos servidores publicos? Ministerio publico faça alguma coisa pelos funcionarios publicos do Rio Grande do Norte! Bote esse governador pra fora! Ele estar prejudicando o povo todo!

    ResponderExcluir
  3. Fizeram um impeachment para Rosalba nao colou. Para tirar Robson faz tempo que deveriam ter feito. O cara estar fazendo o que bem entende com o dinheiro do Estado do RN passando por cima de tudo que e' direito do servidor publico e ninguem faz nada!

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
* NÃO SERÃO AUTORIZADOS COMENTÁRIOS COM PALAVRAS DE TEOR OFENSIVO COMO XINGAMENTOS, PALAVRÕES E OFENSAS PESSOAIS.